E-commerce na Pandemia: Como a incerteza e a transformação impacta o mercado?

Publicado em 01 de março de 2022

O ano de 2022 será cheio de incertezas, desde a esfera política e economia até a saúde. Muitas dessas incertezas deve-se a pandemia de Covid-19 que se aproxima do seu segundo ano e modificou o E-commerce permanentemente.

Pesquisas realizadas pela Neotrust mostram que foram realizadas 78,5 milhões de compras no primeiro trimestre de 2021. Isso representa um aumento de 57,4% em relação ao mesmo período de 2020.

Se você é comerciante e está se perguntando como será o cenário do E-commerce na pandemia e após ela, neste texto, iremos mostrar dados que nos permitem entender como ela alterou a forma de fazer negócios e como se preparar para o futuro.

Crescimento Exponencial no número de Empresas Online

A primeira modificação causada pela pandemia foi a aceleração da transição entre o comércio físico e o digital. Hoje, é obrigatório que sua empresa tenha uma boa presença online.

Essa exigência aconteceu devido ao isolamento social, que impediu que muitos lojistas vendessem seus produtos presencialmente e, para manter sua empresa, precisaram migrar para o digital.

Segundo levantamento feito pelo Sebrae:

  • 40% das empresas têm perfis em redes sociais
  • 70% usam WhatsApp
  • Somente 27% possuem site (e domínio) próprio. 

Para 2022, é esperado que esse número continue aumentando. A tendência é que, cada vez mais, as empresas percebam a necessidade e as oportunidades que o meio digital pode proporcionar e vejamos cada vez mais redes sociais e sites próprios.

Se você ainda não tem uma boa presença online, confira esses artigos que podem te auxiliar a começar:

Aumento no número de clientes que compram online

O crescimento no número de empresas online, com certeza, é devido ao aumento na demanda por compras de produtos e contratação de serviços de maneira virtual.

Como falamos, o isolamento social fez com que as pessoas precisassem comprar sem sair de casa. Muitas pessoas que, antes, não costumavam fazer compras online, seja por insegurança, falta de conhecimento ou dificuldade com a tecnologia, precisaram se adaptar.

E essa adaptação foi muito positiva e veio para ficar, ditando como será o e-commerce na pandemia. De acordo com levantamento realizado pelo PayPal, empresa de pagamentos online, apenas 35% dos entrevistados faziam compras online com frequência antes da pandemia.

Em novembro de 2021, esse número beirava os 60%. E muitos dos clientes, tem a intenção de continuar fazendo suas compras online, pelo menos uma vez por mês, mesmo após a pandemia. 

Cabe a sua empresa se adaptar e estar preparada para viver essa nova realidade.

Delivery

E por falar em se adaptar a nova realidade, precisamos falar de uma tendência para os próximos anos que deu novo significado para o e-commerce na pandemia, o delivery.

O estudo “Consumo Online no Brasil”, feito pela agência Edelman e pelo PayPal, apontou que o número de pessoas que pediam refeições pela internet pelo menos uma vez na semana, aumentou de 40,5% para 66,1%. Os pedidos diários subiram de 14,2% para 22,1%.

Em 2020, o Brasil foi o país que mais pediu delivery em toda a América Latina, com 48,77% dos pedidos acontecendo aqui.

Para muitos restaurantes e mercados, o delivery deixou de ser um serviço adicional tornou-se o principal meio de faturamento. Essa demanda resultou no aumento das Dark Kitchens, restaurantes com estrutura menor e que apenas fazem entregas.

E elas conquistaram seu lugar no mercado, mesmo com o fim da pandemia. É provável que vejamos mais empreendimentos apenas com delivery ou que terão sua maior parte dos ganhos, vindos de entregas.

Atendimento domiciliar

Outra adaptação é na hora do atendimento, muitas empresas tiveram que se adaptar a nova realidade. Principalmente se você oferece serviços, foi necessário encontrar novas maneiras de atender seus clientes.

Para muitos, a alternativa foi videochamadas. Médicos, psicólogos, instrutores de ioga e musculação passaram a orientar e atender seus clientes através do computador ou celulares.

Mas, em outras profissões isso não é possível, por exemplo, cabeleireiros, que, obviamente, precisam estar no mesmo local do cliente. A alternativa foi o atendimento domiciliar, onde o profissional dirige-se até a casa do cliente e realiza o serviço.

Essa modalidade de atendimento se tornou tão comum, que é bem possível continuar nos próximos anos, principalmente para pessoas de grupo de risco que o isolamento pode durar mais tempo.

Omnichannel

Você já ouviu falar de atendimento omnichannel? Ele tem se mostrado a melhor maneira de se relacionar com seus clientes, garantindo mais praticidade e conforto para eles, além de mais agilidade para sua empresa.

O atendimento omnichannel é, basicamente, a centralização de todos os canais de atendimento que sua empresa tem

e commerce na pandemia

crescendo nos próximos anos.

Big Data

Big Data tem crescido cada vez mais. Hoje em dia, produzimos milhões de dados por segundo e que ficam armazenados na internet. Essas informações são muito úteis para melhorar o seu empreendimento.

Com eles, você pode identificar falhas e problemas na sua loja, prevenir fraudes e preparar boas estratégias, tudo isso, usando Big Data.

A popularização da tecnologia de Big Data permite que novas ferramentas e recursos cheguem ao mercado, em diferentes preços e com diferentes possibilidades para o lojista.

Nós já fizemos um artigo explicando sobre ferramentas antifraude, muito úteis para qualquer negócio e que se utilizam de Big Data para realizar suas comparações e previsões.

Facilidade de Pagamento

Por último, a pandemia deixou o consumidor mais exigente, tanto em relação ao produto quanto em relação à forma de pagamento.

Além de exigir mais segurança, nós buscamos facilidades, comodidades e o menor contato possível. Por isso, o PIX ganhou o carinho dos brasileiros em pouquíssimo tempo.

Além da facilidade e da transferência ser instantânea, o contato físico com quem está cobrando é 0, nada de cartão ou dinheiro, perfeito para quando estamos vivendo uma pandemia.

Outras ferramentas estão crescendo em popularidade também, como carteiras digitais, pagamento por QR code, smartwatchs, etc.

Então, é melhor sua empresa estar preparada para usar esses pagamentos.

Conclusão

Mesmo com todas as incertezas que o ano de 2022 pode trazer, algumas coisas podemos afirmar: cada vez mais o futuro é digital e mais focado no bem-estar dos clientes.

Os consumidores estão tornando-se mais exigentes na hora de sair de casa para qualquer coisa. Aquilo que, antes eram banais, hoje são repensadas.

e commerce na pandemia

Por isso, não é mais o cliente que chega até você, mas sim, você que vai até o cliente; que deve adaptar sua marca aquilo que eles desejam e acreditam.

Quem não conseguir se adaptar, ficará para trás e vai perder muitas oportunidades no futuro. Então, não seja uma dessas lojas e comece a planejar como seu negócio pode se preparar.

Para mais informações, confira nosso artigo com Tendências de mercado e de Marketing para 2022.

E-Commerce
Por: João Martinez
Publicado em 01 de março de 2022

Marilia - SP

Av. Hygino Muzi Filho, 529

Sala 140 A

+55 (14) 2105-0087

contato@eficazconsultoria.net.br

Barueri - SP

Calçada das Margaridas,

51 - Alphaville Comercial

+55 (11) 3185-4804

contato@eficazconsultoria.net.br

Link para acessar a página ABCOM – selo que Associação Brasileira de Comércio Eletrônico
Ícone que mostra que somos empresa Microsoft Partner
whatsapp